segunda-feira, março 04, 2013

“Sete Dias com os Media”: desafio a todos nós

De 3 a 9 de Maio próximo, está em preparação uma iniciativa de âmbito nacional que incentiva os portugueses, de todas as idades e condições, a considerar o lugar que os meios de comunicação ocupam nas suas vidas e a tomar iniciativas sobre o assunto. Esta operação, que envolve também profissionais e instituições mediáticas, designa-se “7 Dias com os Media” e é, sobretudo, um desafio à criatividade, à iniciativa (ver mais informação AQUI).
Uma família, uma turma, um grupo informal, uma biblioteca, uma associação ou mesmo uma pessoa individualmente podem participar nesta mobilização colectiva que começou por ser apenas um dia, em 2012, e que agora se alarga a uma semana, para dar mais flexibilidade às iniciativas que cada qual entender desenvolver com total liberdade.
Que se pode fazer? Uma infinidade de coisas e mais aquelas que se inventarem. Os mais pequenos poderão expressar-se sobre os media através do desenho, da fotografia, do vídeo, da colagem, do texto. Em casa, os membros de uma família poderão repensar o modo como gerem os seus consumos de media e inovar naquilo que acharem necessário. Na escola, poder-se-á convidar jornalistas, publicitários e outros a reflectir sobre os bastidores das notícias, ou os critérios da sua selecção. As acções podem assumir a forma da crítica ou da proposta face ao que existe, mas também a interrogação daquilo que se faz com os media, o tempo que se lhes dedica, o que se ganha e o que se perde.
No fim de semana que passou, por exemplo, um conjunto de organizações dos Estados Unidos da América promoveu uma iniciativa que se intitulava “24 horas desligado” (ver aqui). Desde o nascer ao pôr do sol, os envolvidos optavam por deixar de lado o telemóvel, a Internet ou a consola de jogos para experimentar outra coisa que a rotina quotidiana ou a excessiva dependência não permitia fazer. Outros promovem o Dia sem Facebook ou sem Televisão. Tudo isto pode fazer parte dos “7 Dias com os Media”, sendo que, aqui, a ideia não é apenas “cortar com” mas também “pensar e agir com e sobre os media”.
Todos sabemos que os media – os meios digitais e os analógicos – já são quase como o ar que respiramos. Por isso mesmo, vale a pena cuidar da qualidade do ar e da saúde da respiração.

Sem comentários: